Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Youtube     Siga-nos por RSS
 
Smart Working Grupo Fidelidade
03 Jun 2022
Smart Working Grupo Fidelidade
Smart Working Grupo Fidelidade

SMART WORKING GRUPO FIDELIDADE

 

4 MODALIDADES – DUAS POSSIBILIDADES

TRABALHO PRESENCIAL OU MODALIDADE ESCOLHIDA PELA DIRECÇÃO

 

A pandemia trouxe o teletrabalho para a vida de todos os trabalhadores. Forçados ao isolamento profilático e sujeitos ao enquadramento legal dos sucessivos diplomas extraordinários aprovados pelo Governo, os trabalhadores rapidamente perceberam que as tecnologias de informação faziam o seu caminho no sentido de nos colocar a todos perante uma nova modalidade de prestação de trabalho: o Teletrabalho.

Terminada a obrigatoriedade do Teletrabalho, este regime só pode subsistir se enquadrado legalmente no Código do Trabalho e de acordo com o previsto no ACT 2019 (Cláusula 16.ª), negociado entre o SINAPSA e o Grupo FIDELIDADE.

É neste contexto que surge o Smart Working, na versão de projecto piloto, o qual prevê 4 modalidades possíveis. Contudo, ao trabalhador apenas é permitido escolher entre o modo presencial e a modalidade pela qual a sua Direcção já tiver decidido. Na prática, apesar do projecto piloto apresentar 4 modalidades de Teletrabalho, a escolha da modalidade a implementar não cabe ao trabalhador, mas sim à sua Direcção. A eventual solução consensual transforma-se, assim, em unilateral.

No que diz respeito às regras aplicáveis – Parte IV do regulamento do projecto piloto Smart Working, o SINAPSA tem uma posição critica em relação aos seguintes itens: 

  • No item 3.3, o trabalhador está impedido de contratar meios que, sendo pessoais, estão ao serviço da empresa, negando-lhe deste modo a possibilidade beneficiar de soluções mais vantajosas que possam surgir no mercado; 
  • No item 3.7 é referido que “as despesas adicionais só serão aceites desde que apresentadas pelo colaborador até ao final do mês seguinte à respectiva verificação”. Ora, esta condição viola a legislação em vigor, pois algumas despesas enquadradas neste item obedecem a períodos temporais diferentes dos que estão a ser impostos, como seja o caso da electricidade, cuja facturação pode ocorrer num período temporal superior; 
  • O item 7.9 prevê a possibilidade de revogação unilateral do regulamento do projecto piloto Smart Working com “um pré-aviso de, pelo menos 15 dias”. Ora, o SINAPSA considera que 15 dias podem ser insuficientes para que os trabalhadores organizem a sua vida pessoal de acordo com outra modalidade de trabalho. Em alternativa, no caso da impossibilidade de renovação automática, deve-se prever que a comunicação seja feita com pelo menos 30 dias de pré-aviso. 

O SINAPSA relembra a todos os trabalhadores que o isolamento social prolongado pode colocar em causa a saúde mental, pelo que, sempre que necessário, todos terão direito a cuidados de saúde mental (psicológico), garantidos pela empresa nos termos da Lei. 

SINAPSA. Juntos somos mais Fortes!


SMART WORKING GRUPO FIDELIDADE
SMART WORKING GRUPO FIDELIDADE

 
 
PROTOCOLOS
GUIAS PRÁTICOS
Porto
Rua Breiner, 259, 1º
4050-126 Porto
T + 351 222 076 620
M + 351 918 036 117
geral@sinapsa.pt
Lisboa
Rua Cidade de Liverpool, 16 C R/C Dto
1170-097 Lisboa
T + 351 218 861 024
M + 351 917 562 454
lisboa@sinapsa.pt
Descarregue a nossa APP
App Store
Google Play
Newsletter

Copyright SINAPSA | 2020 | Sindicato Nacional dos Profissionais de Seguros e Afins | Desenvolvido por Portugal Interactivo